Caia na Real....

Estabelecer metas impossíveis torna a dieta mais difícil, e leva qualquer uma, por mais força de vontade que tenha, a desistir. Saiba como se livrar de sonhos impossíveis para, definitivamente, atingir o objetivo

Melissa Diniz


Quem nunca sonhou em ir dormir Gata Borralheira e acordar Cinderela? Basta aparecer um evento importante que surge a necessidade de entrar no vestido de festa. Pronto! Lá vem a vontade de perder cinco quilos, da noite para o dia. Aí, vale tudo: dieta da sopa ou do abacaxi, tomar shakes dietéticos, pular refeições, fazer jejum. Algumas pessoas até conseguem levar a obsessão por um tempo, mas logo recuperam a gordura. Outras desistem rapidinho, frente aos efeitos colaterais das terríveis dietas: fome, mau humor, fraqueza e baixa imunidade. Vale a pena? Se você respondeu que não, deve ter aprendido a lição.

Já diziam as nossas avós: tudo que vem fácil, vai embora fácil. Segundo Marcio Mancini, endocrinologista e presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), estabelecer metas de emagrecimento impossíveis é um erro grave e frequente. "Muitas pessoas têm a idéia equivocada de que é fácil perder peso, mas, nos casos de emagrecimento drástico, o efeito sanfona é quase certo. Uma das premissas do tratamento médico e nutricional é estabelecer metas reais de longo prazo", diz o médico.

A conta ideal é perder 10% do peso em seis meses. "Às vezes, esse número desmotiva, mas ninguém se torna obeso de uma hora para outra. Então, não é saudável, nem duradouro, emagrecer rapidamente", explica Lara Natacci, nutricionista (SP).

Dispense fórmulas mágicas

Segundo os médicos, dietas restritivas demais são a pior escolha, pois "enjoam facilmente", não oferecem os nutrientes necessários à saúde e ainda promovem resultado contrário ao esperado. "Isso provoca estresse. Num jejum prolongado, aumentam os níveis de cortisol no sangue, o que causa mau humor, irritação, intestino preso e outros distúrbios", explica Lara Natacci. Para não trocar um problema por outro, é preciso ter calma! A ansiedade está por trás do desejo de perda rápida de peso. "É como se a pessoa quisesse que as coisas acontecessem antes do tempo necessário. Por causa da ansiedade, é comum, nesses casos, as mulheres sentirem vontade de comer doces, especialmente chocolates, pela sensação de prazer que proporcionam. Ou seja, ao invés de emagrecerem, podem engordar", avisa a psicanalista Elizandra Souza.

E dá para controlar essa sensação? Segundo Elizandra, às vezes é necessária a ajuda de um especialista, mas, em outros casos, com um bom planejamento é possível "segurar" a pressa. "Isso significa traçar metas e objetivos, como o quanto se quer emagrecer, e em quanto tempo, qual será a dieta a ser seguida, quantas vezes por dia deve alimentar-se, o que comer em cada refeição, e quais os horários para a atividade física", ensina. A psicanalista adverte que somente um profissional pode avaliar a necessidade de remédios. "Vale lembrar que toda medicação mexe com o organismo. Deve-se, primeiro, tentar dietas orientadas, aliadas a exercícios. Se não der certo, aí, sim, é possível pensar em medicação, que deve ser prescrita por médico", recomenda.

Descubra seus limites

Não pense que só você tenta seguir cardápios mirabolantes, não consegue, desiste, se sente culpada, come, engorda... E começa de novo! Veja estas histórias:

'Levo uma vida estressante

"Fui fofinha na infância, mas me mantive estável da adolescência até os 30 anos. Hoje peso 66 kg e meço 1,60 m. Já tentei muitas dietas, como a da lua e a da fruta, e consegui emagrecer, mas tive uma úlcera. Hoje, sigo tratamento médico, mas sinto falta de doces. Quero perder 10 kg quilos, mas sei que preciso também lidar com o estresse."

Vanessa Rodrigues, 32 anos, jornalista (RJ)

O que diz...

...o endocrinologista: "Você precisa de acompanhamento endocrinológico, até mesmo para modular a ansiedade que leva a tanto estresse - e já lhe rendeu uma úlcera. Procure praticar uma atividade física que auxilie na redução do cansaço mental."

...a nutricionista: "O estresse pode aumentar o cortisol, um dos responsáveis pelo acúmulo de gordura, principalmente na região abdominal. Para minimizar o problema, consuma chá de 'unha de gato', e abacate em pequenas porções (picado na salada, por exemplo)."

'Adoro comer


"Eu sou de origem alemã e, por isso, sou muito grande. Tenho 1,70 m e 73 kg. Minha gordura é localizada, principalmente no culote. Sempre fui 'a maior da turma', e com 13 anos já senti necessidade de emagrecer. Então, comecei a cortar refeições e a fazer dietas restritivas. O problema é que adoro comer, e sempre que alguém me oferece algo, eu aceito. O melhor resultado que tive foi quando praticava corrida. Hoje não tenho tempo."
Jeinny Teske , 27 anos, gerente comercial (SP)


O que diz...
...o endocrinologista: "Abandone esses regimes sem fundamento e fuja das dietas da moda. Comece a caminhar (mesmo que por só meia hora) o maior número de dias por semana que puder. Seu IMC está na faixa de sobrepeso. Procure auxílio profissional para seguir uma dieta saudável."
...a nutricionista: "Prefira consumir os alimentos em sua forma natural, sem processos de industrialização ou uso de gorduras no preparo. Inclua no seu cardápio: vegetais, frutas, cereais integrais, carnes e laticínios magros. Retome o exercício: faça 40 minutos, quatro vezes por semana."


'Não tenho paciência para dietas longas


"Desde os 12 anos eu brigo com a balança. Hoje peso 69 kg e meço 1,57 m. Gostaria de perder 10 kg, mas não tenho paciência para dietas longas. Já cheguei a fazer tratamento com nutricionista e endocrinologista, e perdi 8 kg. Mas logo me cansei e voltei a comer como antes. Já fiz várias dietas malucas, mas sou de família italiana e adoro batata, arroz, pão e, aos finais de semana, meu macarrão é sagrado. Mas quando me olho no espelho... Hoje, voltei a procurar um endocrinologista. O mais difícil é que não tenho tempo para exercícios."
Roberta de Pietro, 24 anos, coordenadora de eventos (SP)


O que diz...


...o endocrinologista: "Você precisa rever seus conceitos. Seu problema já dura 12 anos e se tornou crônico. Seu IMC é 29, e está próximo do limite entre sobrepeso e obesidade. Ponto positivo: você voltou a procurar um especialista. Concentre-se em corrigir hábitos errados e siga as recomendações médicas. Tente ser mais ativa no dia-a-dia, se não puder fazer exercícios. Lembre-se: o tratamento não termina quando você emagrece."


...a nutricionista: "O ideal, para um emagrecimento saudável, é eliminar 10% do peso total num prazo de seis meses. Se a perda for muito maior do que isso, a possibilidade de engordar novamente é grande. Não restrinja carboidratos, apenas tente consumir os que são ricos em fibras, como os integrais."


'Não consigo ficar sem doces


"Para minha família, meu peso é um problema. Eles dizem que preciso me cuidar, senão vou ficar doente. Na adolescência, as críticas me incomodavam, e cheguei até a deixar de viajar, na formatura, para não sair gorda nas fotos. Hoje lido melhor com isso. Mas quando surge uma ocasião especial, corro atrás de uma dieta milagrosa. A última foi a da proteína. Perdi 5 kg em duas semanas, mas desisti, voltei a comer e recuperei o peso. Quando eu estou triste, não fico sem doces. Depois, me culpo..."
Nadine Ferreira Marques da Silva, 23 anos, pedagoga (SP)


O que diz...

...o endocrinologista: "O seu peso está muito elevado, pois seu IMC está em 34, considerado obesidade de grau 1. Uma análise cuidadosa precisa ser feita, pois o excesso de peso pode afetar sua saúde. Sugiro a dieta dos pontos, mas talvez você também precise de medicação. Procure um médico."
...a nutricionista: "Consuma carboidratos complexos a cada quatro horas. Esse alimento deixa a glicemia estável e aumenta a saciedade, evitando a vontade de doces. Dietas restritivas causam perda de massa magra. Assim, o metabolismo diminui, e há risco de recupera-se o peso perdido."

'Luto contra o efeito sanfona


"Há sete anos eu vivo no 'engorda-emagrece'. Hoje eu peso 64 kg e tenho 1,70 m de altura. Já fiz a dieta da proteína, da sopa e todas do tipo. Também já tomei remédios, mas só consegui emagrecer, de fato, com reeducação alimentar, comendo de três em três horas, e diminuindo as porções. Meu problema são os doces. Por conta deles eu recupero o peso rapidamente."
Deborah Moura Carrolo, 24 anos, jornalista (RJ)


O que diz...
...o endocrinologista: "Seu IMC é 22, normal. Seu corpo é que está lutando contra essas dietas malucas que você tem feito, lançando mão de'forças engordativas,' para proteger seu organismo das suas próprias atitudes. Procure um nutricionista e faça uma correção de hábitos.


...a nutricionista: "Para evitar a compensação nos doces, tente comer a cada três ou quatro horas e, nos momentos mais complicados, consuma uma fruta com cereal integral. Por exemplo: banana com aveia; mamão com granola; ou ½ xícara de frutas secas com oleaginosas."

http://corpoacorpo.uol.com.br//nutricao-saude/248/artigo145900-3.asp

Beijos volto amanhã .....

Fui..........

3 comentários:

Luciana disse...

Foi muito bom ler essa reportagem, ja q eu estava começando fazer essas dietas restritivas, q me deixam cm muita ansiedade!
Outra coisa, eu n sabia q na dieta podia ser ingerido aveia e outras coisas, e na reportagem percebi q o consumo dos cereais integrais é necessario. Amei a reportagem.
E ja add seu blog na minha pagina de favoritos.
Um abraço, e força na peruca, nós vamos conseguir nos reeducar!

Line ^.~ disse...

Muito bo a reportagem , me ajudou a relembrar algumas coisas que estava deixando de lado .. Força amiga , vamos conseguir..
boa sorte

bjom

Cátia disse...

Texto muito bom....eu andei fazendo várias restrições que só me levaram a jacar e a ficar ansiosa!!

Tem selinho para voce no meu blog!!
Beijo